Opinião

A Faculdade e a COVID-19

Maior envolvimento da academia no apoio às autoridades de saúde

Última Revisão —

"Esta semana terá lugar na DGS uma reunião com vários colegas representando diferentes valências científicas, disponíveis para conduzir diferentes metodologias de análise e modelação dos dados", refere Manuel Carmo Gomes

Unsplash Hal Gatewood
Manuel Carmo Gomes
Manuel Carmo Gomes
Imagem cedida por MCG

Scripta Manent. O que se escreve, fica, permanece.
Leia os artigos "O novo coronavírus: factos, respostas e previsões" e "O novo coronavírus: factos, respostas e previsões II" da autoria de Manuel Carmo Gomes, professor do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa, publicados no jornal Público.

Em finais de fevereiro, ainda sem casos de doença em Portugal, fui solicitado para integrar a equipe encarregue de estabelecer a chamada Reserva Nacional de Medicamentos. Nessa altura foi necessário efetuar cenários do número de casos de doença COVID-19 que poderiam vir a ocorrer em Portugal, a fim de fornecer às autoridades estimativas do volume aproximado de equipamentos de proteção individual e medicamentos que seria necessário adquirir. Encarei a solicitação com naturalidade, uma vez que tenho integrado a Comissão Técnica de Vacinação que presta assessoria à Direção-Geral da Saúde (DGS) e, nesse âmbito, tenho atravessado várias crises epidemiológicas anteriores com os profissionais da DGS e do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA). O estabelecimento de cenários epidemiológicos foi conduzido a partir do INSA e eu integrei a equipe para ajudar a validar e discutir resultados.

Logo que começámos a ter casos de COVID-19 em Portugal, a informação sobre os casos começou a ser coligida através do sistema nacional de vigilância epidemiológica (SINAVE), centralizado na DGS. A informação é depois canalizada para o INSA, local onde é feita a análise preliminar de dados, as correções necessárias para ter em atenção os atrasos de notificação (o chamado nowcasting, por oposição a forecasting) e onde são feitas projeções preliminares para o futuro da epidemia. Tenho estado disponível para auxílio ao INSA na validação das análises e resultados. Nesta fase, também tem sido necessário fornecer informação em tempo real às autoridades de saúde, nomeadamente através de briefings presenciais como aquele que teve lugar a 14 de março na DGS, antes da conferência de imprensa da Ministra da Saúde e da Diretora-Geral da Saúde. Neste briefing, houve oportunidade de obter luz verde para um maior envolvimento da academia no apoio às autoridades de saúde.

"Ciências ULisboa desempenhará um papel relevante nos dias difíceis que se avizinham, trazendo para a linha da frente a mais-valia inerente à multidisciplinaridade que caracteriza a nossa escola."
Manuel Carmo Gomes               

Ao longo dos últimos dias, vários colegas da Ciências ULisboa e de outras faculdades entraram em contacto comigo, manifestando disponibilidade para contribuir com o seu conhecimento e meios no auxílio à análise dos dados, modelação e projeção do futuro da epidemia. Na Faculdade estes colegas são oriundos dos Departamentos de Matemática, Estatística e Investigação Operacional, Física e Informática.

Esta semana terá lugar na DGS uma reunião com vários colegas representando diferentes valências científicas, disponíveis para conduzir diferentes metodologias de análise e modelação dos dados. O grupo de epidemiologia do INSA estará presente, mantendo-se como o órgão que centraliza e presta apoio oficial contínuo à DGS e à Ministra da Saúde. Pretende-se apoiar os colegas do INSA e, simultaneamente, aplicar metodologias que sejam diferentes das conduzidas no INSA, representando outras abordagens de acompanhamento da epidemia, fornecendo descrições e predições que irão sendo atualizadas quotidianamente.

Penso que Ciências ULisboa desempenhará um papel relevante nos dias difíceis que se avizinham, trazendo para a linha da frente a mais-valia inerente à multidisciplinaridade que caracteriza a nossa escola.

Manuel Carmo Gomes, professor do Departamento de Biologia Vegetal Ciências ULisboa
info.ciencias.ulisboa.pt