Nevaro ganha bronze na China

 2.ª edição do prémio “Internet +” de inovação e empreendedorismo da China e países de língua portuguesa para estudantes universitários

Francisca Canais e Rita Maçorano, cofundadoras da Nevaro, viajaram até à China e participaram no concurso ganhando o prémio de bronze

Internet+

Futuramente a Nevaro pretende apresentar produtos que visem outros distúrbios de ansiedade, como o distúrbio compulsivo obsessivo e o stress pós-traumático; assim como para doenças neurológicas, como o autismo e o parkinson, por isso a equipa está à procura de novos colaboradores, nomeadamente estudantes que possam desenvolver projetos inseridos em teses de mestrado ou doutoramento. Se tem interesse por estas temáticas envie email - team@nevaro.tech - para a equipa.

A Nevaro, uma spin-off da Ciências ULisboa, fundada por Francisca Canais e Rita Maçorano, duas alunas do mestrado integrado em Engenharia Biomédica e Biofísica (MIEBB), e por Hugo Ferreira, professor do Departamento de Física e investigador do Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica da Faculdade, participou na 2.ª edição do prémio “Internet +” de inovação e empreendedorismo da China e países de língua portuguesa para estudantes universitários, ganhando no final do concurso o prémio de bronze.

Tudo aconteceu no passado mês de outubro. As cofundadoras viajaram até à China, onde participaram neste concurso, tal como anunciado no blog do Tec Labs – Centro de Inovação da Faculdade onde está sediada a startup.

“Após vários momentos de pitch e apresentação do projeto, a NEVARO foi selecionada para a final do concurso, que decorreu na ‘Macao International Trade and Investment Fair’, onde recebeu o prémio de bronze! Este prémio é bastante importante para a startup, visto que foi uma ótima validação do interesse do mercado asiático nas soluções desenvolvidas, para além do reconhecimento do percurso e trabalho desenvolvidos até ao momento.”
Francisca Canais e Rita Maçorano

O primeiro produto da NEVARO, em fase de testes piloto, consiste numa ferramenta de complemento aos métodos convencionais de psicologia para tratamento de fobias. Especificamente, o intuito é que os psicólogos tenham ao seu dispor um método de dessensibilização fóbica que permita uma exposição gradual e controlada, com uma avaliação objetiva da ansiedade do paciente, colmatando assim as limitações dos métodos convencionais.

A NEVARO irá participar no programa de aceleração Protechting 4.0. O objetivo da Nevaro é ter oportunidade de realizar testes piloto com o grupo Luz Saúde e com a seguradora Fidelidade. Para além disso, beneficiará ainda de incubação na Beta-i, acesso à rede de mentores da organização, possibilidade de ter acesso a um roadshow internacional e cash prize.

“O paciente é exposto ao ambiente ou objeto que lhe causa ansiedade/medo, através de jogos de realidade virtual/aumentada que são diretamente controlados por biofeedback. Isto é, o nível de exposição no jogo aos triggers da ansiedade varia consoante os sinais fisiológicos do paciente (os seus sinais cerebrais e batimento cardíaco). Entre sessões na clínica ou no hospital, o paciente pode ainda utilizar a ferramenta, em formato app, em casa, sendo monitorizado remotamente pelo psicólogo”, explicam Francisca Canais e Rita Maçorano.

ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt