Reunião da Neuro-MIG em Lisboa

A Neuro-MIG visa o estabelecimento de uma rede de médicos e cientistas para o estudo das malformações do desenvolvimento cortical humano. Recentemente reuniram-se em Lisboa

AA

A comissão de gestão e os grupos de trabalho da European Network on Brain Malformations (Neuro-MIG) estiveram reunidos em Lisboa, em setembro passado. O encontro foi organizado pelo Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica (IBEB) de Ciências ULisboa, com o apoio da fCiências.ID -  Associação para a Investigação e Desenvolvimento de Ciências, em cujo anfiteatro decorreram os trabalhos.

“A reunião permitiu fazer progressos significativos em direção a uma harmonização da nomenclatura e protocolos de diagnóstico e à elaboração de artigos de revisão conjuntos”, refere Alexandre Andrade, professor do Departamento de Física, investigador do IBEB de Ciências ULisboa e um dos representantes nacionais desta ação COST. O outro representante nacional é Rita Nunes, professora do Instituto Superior Técnico da ULisboa. Ambos integram o grupo de trabalho que visa a uniformização dos critérios de avaliação imagiológica e o desenvolvimento de novos métodos para a aquisição e análise de imagens.

Durante o encontro de dois dias foi possível discutir os avanços recentes sobre a patofisiologia e a origem genética das malformações do desenvolvimento cortical, assim como questões relativas à partilha de dados e informações, disseminação e tópicos de investigação a explorar no decurso desta ação, iniciada em 2017 e com término previsto para 2021.

A ação COST CA 16118 ou Neuro-MIG visa o estabelecimento de uma rede de médicos e cientistas para o estudo das malformações do desenvolvimento cortical humano.

Segundo Alexandre Andrade, “o diagnóstico e acompanhamento destas malformações representam um desafio de grande monta devido à heterogeneidade de sintomas, causas e impacto na qualidade de vida da criança e dos seus familiares e requerem uma abordagem multidisciplinar”.  Por isso, a rede inclui médicos, geneticistas, biólogos, patologistas e neurocientistas, possibilitando a divisão das atividades em grupos de trabalho dedicados às vertentes clínica, imagiológica e genética e ainda às componentes de gestão informática, disseminação e de identificação de tópicos de investigação transversais.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt