Ciências ULisboa vai realizar testes à COVID-19 - Comunicado de 20 de abril

Photo by Martin Lopez from Pexels

Como é conhecimento de todos, Ciências associou-se desde a primeira hora aos esforços nacionais na luta contra a pandemia COVID-19. Neste processo tem contado com a solidariedade de toda a comunidade que desde logo disponibilizou equipamento, máscaras e outro material de laboratório para as instituições de saúde, se voluntariou para apoiar as análises moleculares, colocou a sua capacidade de inovação ao serviço da sociedade através da construção de viseiras de proteção, e usou as suas competências técnico-científicas para apoio à tomada de decisão, quer através de consultadoria aos órgãos do governo, quer através da disponibilização de modelos baseados em evidências científicas. São inúmeros os exemplos destas iniciativas cuja informação será em breve disponibilizada numa página intranet que se encontra em construção.

Estas iniciativas têm sido reconhecidas e recebido o apoio da Direção de Ciências que, conforme informação anterior, tomou igualmente a decisão de investir na construção de um Centro de Testes COVID (CTC @ Ciências), em instalação no edifício Tec Labs, e que entrará em funcionamento nos próximos dias para rastreio do COVID-19. Este Centro, que vem dar corpo a um dos objetivos que nortearam o programa de ação da atual Direção - otimização de recursos, representa uma infraestrutura de investigação e prestação de serviços de Ciências, transversal às diferentes UI&Ds, atualmente inteiramente dedicado à mitigação da COVID-19 (rastreio do vírus e testes imunológicos) mas com elevado potencial para futura investigação em que sejam requeridas condições de segurança similares. Também neste processo tem sido exemplar o apoio das unidades de investigação de Ciências, quer através da disponibilização de equipamento, quer voluntariando-se para apoiar nas mais diversas atividades associadas.

Conscientes de que o coronavírus SARS-CoV-2 representa um risco para a saúde pública, é objetivo deste comunicado tranquilizar a comunidade de Ciências, garantido que estão asseguradas todas as condições de segurança. Neste contexto, salienta-se que:

  • Embora no processo de validação/certificação o novo Centro de Testes de Ciências figure como sendo um local onde poderão ser feitas recolhas diretas de amostras biológicas, não se prevê que tal venha a acontecer, uma vez que foram já fechadas parcerias com locais de recolha que garantem a totalidade da capacidade de produção. Assim, prevê-se que Ciências atuará apenas como um local de receção de amostras recolhidas por profissionais de saúde em hospitais ou clínicas, que as enviarão a-posteriori, em segurança, para o Centro de Testes;
  • De forma a garantir que o “trânsito” das amostras no campus de Ciências será reduzido ao mínimo, está já a ser produzida sinalética específica, que será colocada em vários pontos do campus, impedindo que haja circulação de amostras nos restantes edifícios;
  • As amostras biológicas darão entrada diretamente a partir do exterior para uma nova sala de segurança biológica, instalada no edifício de apoio ao TecLabs, onde se irá proceder à inativação e extração de RNA do vírus, tendo sido realizadas obras de adaptação do espaço para o efeito e adquirida uma infraestrutura de contenção biológica em conformidade com o nível de segurança de risco biológico 3 da Organização Mundial da Saúde. A mesma infraestrutura é certificada em conformidade com a EN 1822-1 (classificação HEPA e ULPA, testes de desempenho e marcação), EN 12296, EN 12297, EN 12298 (Diretrizes sobre procedimentos de teste para limpeza, esterizabilidade e estanqueidade de equipamentos de biotecnologia) e EN 12741 (Diretrizes para operações hospitalares de biotecnologia). O projeto de construção está em conformidade com o ASHRAE 170 (Standards for Ventilation of Health Care Facilities). Esta infraestrutura está equipada com uma câmara de fluxo laminar de segurança biológica classe II tipo B2 para manipulação, e o processamento da mesma será realizado por investigadores com formação específica e munidos de equipamento de proteção individual adequado;
  • Apenas após a inativação, as amostras de RNA, já inofensivas do ponto de vista de risco biológico, prosseguirão para o laboratório no 1.º piso do Edifício Principal Tec Labs onde serão realizados os testes moleculares (RT-PCR) e sequenciação genómica, ou outros protocolos metodológicos que entretanto fiquem disponíveis, para diagnóstico do SARS-CoV-2;
  • As análises a serem realizadas no Centro de Testes COVID em Ciências serão prioritariamente feitas em amostras cujo pedido de análise for emitido pelas entidades associadas ao Ministério da Saúde ou a outros Ministérios que estabelecerem protocolos de parceria com Ciências.

Por decisão da Direção, a coordenação de toda a operação relativa aos testes de rastreio COVID-19 é assegurada pelo investigador Ricardo Dias (Investigador de Ciências associado ao BioISI – Instituto de Biosistemas e Ciências Integrativas) e todos os contactos relativos a este assunto devem ser endereçados a fightcovid@ciencias.ulisboa.pt.

Agradecemos uma vez mais o contributo de todos nesta nova e importante missão de Ciências, porque juntos somos mesmo mais fortes.

A Ciência não para e Ciências também não.
Distantes para nos protegermos a todos, mas ligados para continuar a responder aos desafios do futuro.
#EstamosOn #FiqueEmCasa

A Direção

(Comunicado Centro de Testes COVID, 20/04/2020)

 


Nesta fase de crise, Ciências reuniu esforços e vai avançar para a realização de testes de despistagem à COVID-19.

Para isso será feito um investimento de raiz, numa instalação modular (BOX com certificação de nível 3 (BSL3)) - adequada a este tipo de manipulação) que será adquirida pela Faculdade e colocada na zona onde funcionava até agora o restaurante do Tec Labs.

Os testes deverão ter início dentro de aproximadamente 2 semanas consistindo, numa primeira fase, em cerca de 100 análises diárias. Serão igualmente feitos sequenciação e rastreamento epidemiológico.

Até lá serão formados voluntários que foram já identificados com o apoio da ordem dos Biólogos e iniciado o processo de certificação dos testes de despistagem. Outras iniciativas, como a produção de viseiras e suportes de viseiras para proteção de profissionais de saúde, estão também em curso na nossa comunidade.

Para além da identificação rápida da presença de SARS-Cov-2,  Ciências poderá, em menos de 24h, rastrear a origem epidemiológicas dos casos, através da sequenciação do genoma viral em tempo real. Esta capacidade de inovação de Ciências, é apenas possível, devido à sua estratégia de inovação e desenvolvimento posta em prática nos últimos 5 anos, em colaboração com diversas entidades internacionais, para o desenvolvimento de novas aplicações e tecnologia de sequenciação genómica e analise de dados em tempo real. Esta capacidade, permitirá, não só, distingir os casos “importados” dos casos de disseminação comunitária, mas  também identificar eventuais focus de disseminação local de infeção.

Ciências agradece desde já o enorme esforço de todos os colegas e voluntários nesta luta conjunta, e ficará à disposição da comunidade para toda a colaboração que faça sentido neste contexto. Envie a sua proposta para fightcovid@ciencias.ulisboa.pt.
 
A Direção

 


Ciências ULisboa não para - mensagem do Subdiretor, Pedro Almeida.