Valorização Tecnológica

Exploração do potencial económico e social das tecnologias

Entende-se por valorização tecnológica a exploração do potencial económico e social de uma tecnologia. Ciências entende que deve ser feito um esforço conjunto com os inventores para melhor identificarcomo é que os resultados da investigação podem ser aplicados no meio empresarial e na sociedade, determinando uma estratégia de proteção e comercialização adequada.

Os objetivos de CIências, através dos serviços da Direção de I&D (DID) passam por:

  • Identificar e filtrar invenções que devam ser alvo de proteção por direitos de propriedade intelectual;
  • Definir estratégias de divulgação e comercialização de tecnologias.

 

Análise da invenção

No apoio aos inventores, um primeiro passo para a valorização das suas tecnologias, passa sempre pela análise de uma comunicação de Invenção (CI). Esta análise é realizada por profissionais capazes de entender a informação técnica descrita na CI, mas que se focam numa análise do potencial de inovação para o meio empresarial e para a sociedade.

A análise da CI inclui uma pesquisa do estado da técnica baseada, sobretudo, em bases de dados de patentes e de entidades que trabalham na área. Alguns dos pontos mais relevantes a considerar são:

  • Verificação da novidade e da atividade inventiva;
  • Identificação de empresas e produtos/serviços semelhantes ou concorrentes;
  • Análise da dimensão do mercado (dados económicos);
  • Estado de maturação da tecnologia em análise.

Se da avaliação da invenção se concluir que os resultados apresentados têm potencial de comercialização, é considerada a possibilidade de prosseguir o processo de proteção da invenção.

 

Proteção da invenção

Uma invenção pode ser protegida através de direitos de Propriedade Intelectual (PI). A opção de proteger uma invenção com direitos de PI é realizada caso a caso. É importante ter presente que a proteção de uma invenção através de direitos de PI tem custos associados, quer no registo, quer na manutenção e na defesa desses direitos de PI. Como tal, serão valorizados projetos que sejam capazes de captar financiamento para suportar os custos com PI.

No caso da proteção por patente, é necessário verificar os requisitos de patenteabilidade:

  • A novidade;
  • A atividade inventiva;
  • A aplicação industrial.

 

Licenciamento e venda

A tecnologia é, tipicamente, transferida através de um acordo de licenciamento referente a um direito de propriedade industrial, normalmente uma patente. O titular de uma patente pode conceder uma licença de exploração da mesma. As licenças são direitos de exploração comercial que podem ser transferidos ou vendidos durante um determinado período de tempo e para um determinado território, por via de um contrato de licenciamento.

O contrato de licenciamento de direitos para exploração de patentes tem por objetivo autorizar o licenciado a fazer uso do conhecimento protegido para fins comerciais. Um contrato de licenciamento pode ser exclusivo ou não exclusivo, para uma determinada área de aplicação e para determinadas zonas geográficas.

Esta fase envolve negociação, formalização dos contratos e partilha de proveitos financeiros entre as partes envolvidas e de acordo com o Regulamento de PI em vigor.

 

Criação de uma startup

Os inventores podem preferir iniciar um projeto empresarial, cujo objetivo é a criação de uma startup de base tecnológica. Nestas situações os direitos de utilização da tecnologia podem ser transferidos para a equipa promotora, através de um contrato de licenciamento.

Para apoiar os promotores nesta fase, a Direção de I&D de Ciências e o Tec Labs - Centro de Inovação estão disponiveis para ajudar os promotores no desenvolvimento do projeto empresarial.

O Tec Labs - Centro de Inovação, disponibiliza um conjunto de serviços relacionados com o desenvolvimento do plano de negócios, apoio à propriedade industrial, cedência de espaço e cedência de espaço laboratorial.