Casos COVID-19 com ligações a membros de Ciências: como proceder

Gestão de casos e testes COVID-19 em Ciências ULisboa

Para comunicação de situações relacionadas com a COVID-19, por favor, preencha este inquérito.

A comunicação de casos relacionados com a COVID-19 é feita através do preenchimento do inquérito em https://inqueritos.ciencias.ulisboa.pt/index.php/764467?lang=pt, mantendo-se o e-mail covid19@ciencias.ulisboa.pt disponível apenas para esclarecimentos adicionais.

Um rápido e efetivo rastreio de contactos (identificação, avaliação do risco e implementação de medidas) é um elemento chave para a deteção precoce de casos e limitação da propagação da COVID-19. Assim, é importante que a informação transmitida pelos membros da comunidade de Ciências ULisboa aos serviços da Faculdade seja adequada para que os procedimentos adotados, em articulação com a Unidade de Saúde Pública (USP), sejam rápidos e eficazes. Os serviços da Faculdade fazem o acompanhamento direto da evolução da situação de saúde dos casos confirmados em membros de Ciências, pelo que qualquer alteração associada a estes casos deve ser comunicada logo que possível.

Conceitos

Sinais e sintomas associados à COVID-19: os sinais e sintomas da COVID-19 variam em gravidade, desde a ausência de sintomas (sendo assintomáticos) até febre (temperatura ≥ 38.0ºC), tosse, dor de garganta, cansaço e dores musculares e síndrome respiratória aguda grave. Foi também verificada anosmia (perda do olfato) e em alguns casos a perda do paladar, como sintoma da COVID-19.

De acordo com a Norma 015/2020 de 24/07/2020, atualizada em 03/03/2022, da Direção-Geral da Saúde, e considerando o tipo de atividades da Faculdade:

Contacto:

Um contacto é uma pessoa que esteve exposta a um caso confirmado de infeção por SARS-CoV-2/COVID-19, dentro do período de transmissibilidade/infecciosidade, ou a material biológico infetado com SARS-CoV-2.

Período de transmissibilidade/infecciosidade:

O período de transmissibilidade/infecciosidade para fins de identificação de contactos entende-se por:

  • Em casos sintomáticos:
    • Desde 48 horas antes da data de início de sintomas de COVID-19, até ao dia em que é estabelecido o fim do isolamento do caso confirmado.
  • Em casos assintomáticos:
    • Desde 48 horas antes da data da colheita da amostra biológica para o teste laboratorial para SARS-CoV-2 até ao dia em que é estabelecido o fim do isolamento do caso confirmado.
    • Quando for possível estabelecer uma ligação epidemiológica: desde 48 horas após a exposição ao caso confirmado, até ao dia em que é estabelecido o fim do isolamento do caso.

Contacto de alto risco: 

São contactos de alto risco as pessoas que:

  • Coabitam com um caso confirmado;
  • Tenham um contacto, com nível de exposição elevado, com um caso confirmado e:
    • Residam, frequentem ou trabalhem em instituições de apoio ou acolhimento a populações mais vulneráveis; OU
    • Sejam profissionais de saúde, que prestam cuidados de saúde diretos e de maior risco de contágio.
  • Excetuam-se as pessoas:
    • Com esquema vacinal primário completo e que tenham realizado dose de reforço com uma vacina contra a COVID-19 há pelo menos 7 dias, que são considerados contactos de baixo risco.
    • Com história de infeção por SARS-CoV-2 nos 180 dias antes do contacto com o caso confirmado, que são considerados contactos de baixo risco.

Comunicação de casos confirmados

Para uma eficaz gestão da informação por parte da Faculdade, apenas os casos confirmados devem, tão breve quanto possível, preencher este inquérito com os dados pessoais e as informações indispensáveis para o rastreio de contactos entre membros de Ciências, nomeadamente, nome completo, categoria, número de funcionário/aluno, e-mail institucional, n.º telemóvel, n.º de utente do Serviço Nacional de Saúde (ou, no caso de cidadãos estrangeiros, n.º de documento de identificação) e código postal da morada de residência atual;

Em caso de dúvida sobre os critérios de isolamentos, os membros de Ciências devem contactar a linha SNS24 (808 24 24 24) e seguir as indicações que vierem a receber. O confinamento domiciliário ou isolamento profilático é determinado pelas autoridades de saúde.

Os serviços da Faculdade enviam diretamente à USP os dados pessoais que foram solicitados aos membros da Faculdade considerados casos confirmados ou contactos de alto risco.

Alerta-se toda a comunidade e em especial os alunos para o facto de todos os contactos institucionais para os efeitos previstos neste documento serem feitos através dos seus endereços de mail institucional de Ciências, pelo que deverão ter especial atenção à operacionalidade destes endereços de mail, em particular, consultando regularmente este e-mail e evitando que as respetivas caixas de mail estejam cheias.

A informação recolhida será tratada exclusivamente com o objetivo de assegurar o acompanhamento dos casos confirmados, a informação à USP e o processamento e divulgação de dados estatísticos anonimizados. Os dados recolhidos são confidenciais, acessíveis apenas aos membros do Gabinete de Segurança, Saúde e Sustentabilidade e aos órgãos de gestão da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Os dados são destruídos logo que o incidente se considere encerrado.

Implementação de medidas

Durante 14 dias após a data da última exposição, os contactos (de alto e de baixo risco) ficam em autovigilância e devem:

  1. Utilizar máscara cirúrgica, em qualquer circunstância, em espaços interiores e exteriores;
  2. Manter-se contactável;
  3. Reduzir as deslocações ao indispensável (trabalho, escola, casa);
  4. Autovigiar diariamente sinais e sintomas compatíveis com COVID-19, bem como medir e registar a temperatura corporal, pelo menos uma vez por dia;
  5. Contactar o SNS 24 (808 24 24 24) se surgirem sinais e/ou sintomas compatíveis com COVID-19;
  6. Caso seja determinado o isolamento profilático, informar os serviços da Faculdade através do preenchimento deste inquérito.

Os interessados podem autopropor-se para a realização de teste de diagnóstico de infeção por SARS-CoV-2 (ver informação abaixo, em programa de testes da ULisboa).

Regularização de assiduidade

Para efeitos de regularização de assiduidade, a decisão de isolamento profilático ou confinamento domicilário é sempre da responsabilidade das autoridades de saúde que enviam a respetiva declaração ao trabalhador/aluno que, por sua vez, a reencaminhará através do preenchimento deste inquérito.

O regresso à atividade presencial deve ter lugar no dia útil seguinte ao último dia do período indicado na declaração, não sendo necessário documento de alta.

Faltas a avaliações e atividades presenciais por motivos relacionados com a COVID

Os alunos impedidos de comparecer a exame por se encontrarem em situação de confinamento obrigatório têm de o comunicar através do preenchimento completo deste inquérito:

evem ainda, indicar quais os exames (data e nome da unidade curricular) a que não vão poder comparecer. Após o envio da informação completa constante nos pontos anterioresdevem contactar o docente da unidade curricular para efeitos de agendamento de nova data para a realização da prova de avaliação.

Os docentes serão informados pela Direção Académica de todas as situações de confinamento obrigatório comunicadas pelos alunos. Após serem contactados pelo aluno(a), deverão providenciar prova de avaliação alternativa em data em que os alunos estejam em condições de a realizar (após alta médica ou o final do período de isolamento, consoante o caso).

N.º de emergência em Ciências

Qualquer membro de Ciências, que se encontre na Faculdade, em caso de emergência, ou se apresentar sintomas de COVID-19, deve contactar o número de emergência em Ciências (extensão interna 20000 ou número direto 217 500 600).